sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Muito prazer, Hyacinthe!

   Hyacinthe foi lançado em 11 de outubro de 2010, eu nunca esquecerei esta data. Mas ficou um tempão na gaveta em forma de contos, eram os que eu mais gostava, que escaparam à fúria do fogo, pois eu costumava escrever, engavetar e depois de um certo tempo rasgar e incinerar. De alguns eu tirei apenas um personagem ou dois, outros eu adaptei.
  Na verdade havia escrito a história principal no ano l46 a.c, em Roma, durante a Segunda Guerra Púnica e dava mais enfoque às estratégias dos dois exércitos, a parte mais romântica, então,mostrando a um amigo virtual, ele disse:"Está legal, mas não seria melhor passar para o nosso tempo, seria mais fácil de fazer a história na mente." Pensei um pouco e acabei concordando, mas aí teria de transformar todo o pano de fundo, pensei em que poderia transformar o liceu de gladiadores, afinal eram esses combates que arrastavam multidões na Roma antiga. Estas atividades às vezes duravam dias seguidos.
   E só podia ser substituído por uma atividade apaixonante, que muitos transformam em religão, que arrasta milhões e milhões de pessoas tanto para dentro dos estádios como para diante de uma televisão: o futebol. O futebol é motivo de alegria, de delírio, mas também de desavenças e rivalidades, justamente o que eu estava procurando. Daí o liceu de gladiadores de Julius Messala, a Famiglia Gladiatores Bellona se transformar na Associação Esportiva Aventina, que tem como patronesse a deusa Bellona, irmã ou esposa de Marte, e trazê-la no escudo. Não encontrei nenhuma foto de Bellona para colocar aqui mas garanto que ela não é nada bonita, parece muito com Medusa, mas tem corpo de gente e é mais agressiva, tem cor de bronze, por isso as cores da Aventina são prata e bronze.

   Outra coisa bem marcante foram meus estudos sobre o Departamento Lebensborn durante a Segunda Guerra Mundial, um assunto bem difícil porque até os aliados, que venceram a guerra não gostam de falar. Este Departamento fazia parte de outro, de Povoação e Raça que pretendia fazer uma limpeza étnica no mundo a partir dos anos 30 finalizando-se nos anos 80. Felizmente, para nós, isto não deu certo, do conto que escrevi usando como motivo estes estudos tirei dois personagens, uma jornalista, Sully Cabrinni, e uma advogada, Octávia Cláudia de Angeles.

3 comentários:

  1. Ilda. O Blog está ótimo. Do perfil o mais interessante foi rezar o terço e amar pamonha de milho verde. Parabéns.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada! vindo de um crítico literário me dá mais um fôlego para prosseguir!
    Êbbbaaaaaaaaa!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Por que o nome da advogada é "Octávia Cláudia de Angeles"?

    Em reverso fica: "Anjos de Claudia Octavia".

    www.claudiaoctavianeronis.blogspot.com

    ResponderExcluir